terça-feira, 6 de março de 2012

rasgando a raiva com a carne, abrindo o peio

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

A minha teoria é sobre contar os minutos...
Se não me responde em mais de três, já vi que estive fora demais e meu roteiro não é mais com vocês.
Fiquem atentas, de olhos bem fechados, pois nesse contratempo, até assim saberei dos passos seus.
Passos leves em fio de vidro, nada adiantará, senão tão somente jogar o sangue e deixar as marcas donde devo ir.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Escutei sobre uma entrega
Estendi pra ti no meu chão simples
Cobri os buracos com o lençol
Achei tudo bonito
E tava calmo
Estendi tudo de novo
Procurei o teu sorriso
Recebi palavra amarga
Duma noite sua que é mais minha
Pensei em não se acabar assim
Pensei em não se entregar assim
Pensei...

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Pra quê falar de algo puro?
O que vale nesse mundo são as impurezas.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Mãe, eu não quero nem de longe ser um menino de rua que sente tanto frio.
Mãe, eu sei que não posso ter um novo coração.
Mas, mãe, eu te juro, vou te dar um novo mundo.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Três postes de venenos médios. Um num fio, outro noutro, outro em outro. Tudo cai no coração. Só não sei quem é dos três. Um vai, mata. Outro vai, sacrifica. Outro vem, maltrata. Dois "vai" rápido, acaba. Finda um pra solidão. "Pracabar" sem magoar, só com sangue "dose-irmão".

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Deixada infame de findi

Sou "anti-findi", pularia do 23 pro 02 e ainda acharia justo uma "hibernada" desse mundo, sem congelar, talvez, o coração. Se bem que... Acho que tem voltado um grande lado de expressão. Seguramente, não deixaria acabar em algodão, no chão, sem mão, ãoãoão ão ão ão ão ão ão.
Foi tudo contado(.)
Tenho procurado em cada canto que eu olho
Tenho visto coisas além dos próprios olhos
Tenho procurado um defeito, um motivo pra ter raiva
Tenho perguntado pro meu tempo - "por que o senhor não volta atrás"?
Desse jeito o meu mundo, teu mundo, era todo mundo diferente
Eu repito, eu repito, pra tu gravar o que te falo, sentir falta mesmo sabendo que é errado
Nesses casos foi tudo ensaiado e já nem sei o que são pétalas
Seu moço, seu tempo... volta com minha flor